segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Dipladênia ou (Mandevilla splendens)







Nome Científico: Mandevilla splendens
Sinonímia: Dipladenia splendens, Mandevilla sanderi, Mandevilla boliviensis, Dipladenia sanderi
Nome Popular: Dipladênia, mandevila, jalapa-do-campo, jasmim-brasileiro
Família: Apocynaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Brasil
Ciclo de Vida: Perene

A dipladênia é uma trepadeira semilenhosa e volúvel, conhecida internacionalmente por sua belíssima floração. Ela apresenta folhas perenes, coriáceas, elípticas a lanceoladas, com nervuras bem marcadas e de coloração verde-escura. Sua floração é mais intensa na primavera e verão, mas pode se estender por todo ano em regiões de clima quente.

Nas inflorescências, em pequenos rácemos, despontam as belas e chamativas flores em forma de trombeta, enormes em algumas variedades, chegando a 10 centímetros de diâmetro. As flores da dipladênia geralmente são simples e de coloração rósea com o centro amarelo, mas podem ser dobradas e totalmente rosas, vermelhas ou brancas.

O sucesso da dipladênia no paisagismo é indiscutível. Ela é muito rústica e precoce, florescendo desde jovem. Devido à característica de não adensar muito sua folhagem, é adequada para cobrir suportes leves ou estruturados como caramanchões, grades, treliças, arcos, cercas e colunas, entre outros. Seu porte é médio, podendo alcançar cerca de 2 a 3 metros de altura. Também pode ser cultivada em vasos grandes e jardineiras, desde que lhe seja oferecido suporte. Seu perfume é bastante peculiar e lembra o aroma de chiclete tutti-frutti. A seiva leitosa da dipladênia é tóxica e pode provocar queimaduras na pele e mucosas.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado moderadamente. Não tolera encharcamento, frio intenso ou geadas. Pode ser cultivada no litoral, tolerando a salinidade do solo. Fertilizações mensais, ricas em fósforo, nos meses quentes estimula intensas florações. É tolerante a podas, que devem ser efetuadas preferencialmente no inverno. Multiplica-se por sementes e por estaquia dos ramos semi-lenhosos.

Pessoal, eu ja havia publicado sobre a Mandevilla, anteriormente mas achei essa matéria mais completa, pois a Mandevilla, tem mais de uma cor, geralmente as pessoas conhecem só a rosa, mas há mais variações de cores.

FONTE: http://www.jardineiro.net/br/banco/mandevilla_splendens.php

2 comentários:

  1. Ando confuso lendo sobre a Alamanda e a Dipladênia e ninguém diz que é a mesma trepadeira, mas as descrições são muito parecidas para plantas diferentes.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem ?
    Alamanda é uma trepadeira e Dipladênia é outra ...
    Alamanda precisa de algo para segurar ela, já a Dipladênia se agarra em grades , sendo mais fácil a sua condução, apesar das flores serem parecidas elas são totalmente diferentes...

    ResponderExcluir