Pular para o conteúdo principal

Muntingia calabura



FAMÍLIA: Muntingiaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Sul do México, Caribe e sul do peru e Bolívia.

PORTE: De 7 a 12 metros de altura.



FLORES: São de tamanho pequeno e coloração branca, com 5 pétalas.

FRUTOS: Comestível, de polpa muito doce, contém grande número de minúsculas sementes de coloração amarela (0,5cm)


Nota: Sabe-se também que cada fruto, com 1,6 cm de diâmetro, pode conter, em média, 4.450 sementes e que um grama de sementes limpas e secas contém aproximadamente 44.500 unidades.
Trata-se de uma  espécie pioneira que prospera em solos pobres, capaz de tolerar condições ácida e alcalina e seca. As suas sementes são dispersas por aves e morcegos frugívoros
Devido ao rápido crescimento e intensidade de frutificação, despertou grande interesse, ao setor de Manejo de Fauna e Áreas Silvestres, como uma espécie de enriquecimento da flora. Por crescer em solos pobres e de sua propagação eficaz por meio de aves e morcegos, ela é muito utilizada em projetos de  reflorestamento
Foi introduzida no Brasil pelo I.A.C. – Instituto Agronômico de Campinas, em 1962
A calabura apresenta-se como uma ótima opção para os plantios de enriquecimento ou mistos com as essências florestais, visando a proteção à fauna.




LUMINOSIDADE:Sol pleno.

ÁGUA: Gosta de solo levemente úmido, mas não encharcado.

CLIMA
 : Quente.

PODA: Não necessária, retirar galhos secos e realizar a poda de formação retirando brotações laterais.
 
FERTILIZAÇÃO: Utilizar esterco de gado bem curtido, cerca de 20 a 30 litros por ocasião do plantio para uma cova de 40 x40 cm.

UTILIZAÇÃO: Uma maravilhosa árvore para o pomar, atrai muitos passarinhos, mas também morcegos que se alimentam de frutas.

PROPAGAÇÃO
 : Por estaquia e por sementes, cada frutinha tem em média 2.000 minúsculas sementes, para ajudar a germinarem devem ser cuidadosamente lavadas para retirada da mucilagem que as envolve.

PARA QUEM DESEJAR SABER MAIS SOBRE GERMINAÇÃO DE SEMENTES:





CURIOSIDADES

No México, os frutos são consumidos e vendidos em mercados.. Os frutos podem ser transformados em doces e as folhas podem ser usadas para fazer chá No Brasil, as árvores são plantadas ao longo margens do rio A queda dos frutos da árvore atrair peixes que são capturados em seguida. although it is not sold in markets. Nas Filipinas os frutos são normalmente comidos principalmente por crianças embora não seja vendido nos mercados.  
Na Brasil as suas flores podem ser utilizados como um anti-séptico e tratar cólicas abdominais. 
A madeira é castanha-avermelhada. É compacto, durável e leve e pode ser usado para a carpintaria.A casca pode ser utilizada para a produção de cordas.. Devido à sua capacidade de crescer em solos pobres e de sua propagação eficaz por meio de aves e morcegos, ela é muito utilizada para projetos de reflorestamento

Na Índia é usada em jardins urbanos por sua capacidade de crescer rapidamente e da produção de pequenos frutos que atraem muitos passarinhos.
Na Malásia estas plantas crescem bem lá devido a boa taxa de sol. Elas são normalmente cultivadas em fileira de casas e ruas As crianças costumam se deliciar com as frutinhas, porque seu gosto muito parecido como algodão doce. Elas são simplesmente delicioso.

A presença de diferentes espécies de pássaros nutrindo-se dos frutos de calabura,nesta idade, reflete o potencial desta espécie nos programas de manejo de fauna e áreas silvestres.

FONTE: http://plantas-ornamentais.blogspot.com.br/2008/08/calabura-muntingia-calabura.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você Sabe cuidar da sua Rosa do Deserto?

Aqui vão algumas dicas para que ela esteja sempre bonita:



A Rosa do Deserto é uma planta domestiscada cujo nome científico é Ademium obesum, ela necessita de polinização manual para sua reprodução, ou então adotar o método de mudas.

Modo de Cuidar:

A planta gosta de clima quente, seco e sol (a rosa precisa de muito sol para florecer);

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar (não é necessario regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar, não encharque mas regue regularmente, uma vez a cada três dias é o necessário);

É importante não deixar a água acumular em baixo do vaso. Adubar a planta a cada dois meses ( qualquer adubo orgânico para flores).



Preparação do Vaso:

No novo vaso, ( não tão maior que o atual, os vasos tem que ser trocados, porém o tamanho não pode ser muito diferente , deve-se aumentar o tamanho gradativamente). Coloque no fundo pedras, coloque uma manta de bedim para que as raizes não cheguem a sair do vaso, dai cubra…

Limão - Rosa.

Nome da fruta: Limão-cravo

Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.
Família botânica: Rutaceae
Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas. Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes. Frutificação: Inverno Propagação: Enxertia


                        Dentre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa. Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um …

Fruta do Conde

Introdução:

A ata pertence à família Annonaceae, gênero Annona, que inclui em torno de 120 gêneros e por volta de 2000 espécies. A espécie Annona squamosa produz frutos delicados, considerados dos melhores do gênero. A ata é também conhecida como pinha e fruta-do-conde no Brasil, anona blanca, sweetsop, anon, anona, rinon, atta del Brasil, srikaya, atis, etc.. 


De acordo com Braga (1960), a ateira é uma planta americana, talvez originária das Antilhas e regiões circunvizinhas. As Anonáceas são fruteiras tipicamente de clima tropical, apresentam boas perspectivas econômicas para a região Nordeste do Brasil, por serem culturas altamente adaptadas às condições locais e produzirem frutos a partir do mês de janeiro, suprindo parte da capacidade ociosa da indústria de suco de caju. 


Apesar de não se dispor de dados estatísticos, é notória a demanda crescente, tanto no mercado interno, como no externo pelos frutos de Annona squamosa L. Esse incremento na procura motivou os fruticultores e empre…