Pular para o conteúdo principal

Como transplantar árvores e arbustos

Como transplantar árvores e arbustos:

A transplantação é um processo que causa um enorme stress a uma árvore ou arbusto e se esta não for bem feita eles podem morrer. Para que isto não aconteça, saiba como transplantar árvores e arbustos de uma forma correta e construa o seu jardim à sua imagem.

A TRANSPLANTAÇÃO DE ÁRVORES E ARBUSTOS

Antes de transplantar uma árvore ou um arbusto deve avaliar se estes têm ou não condições para serem transplantados com sucesso. O aumento do stress sobre as árvores e arbustos que não estão preparados para serem transplantados pode fazer toda a diferença entre uma árvore ou um arbusto saudável e atrativo e um outro que esteja em declínio.

Ao adquirir árvores e arbustos numa loja de jardins especializada ou em viveiros, eles serão novamente transplantados no seu quintal ou jardim. No entanto, as árvores e os arbustos que se encontram nos viveiros têm as raízes podadas, o que os prepara para uma eventual colheita e transporte para a área onde vão ser plantados. Por outro lado, também pode transplantar árvores e arbustos de um lado do jardim para o outro, apesar de este processo ser um pouco mais trabalhoso e demorado.

AS PRINCIPAIS ESPÉCIES A SEREM TRANSPLANTADAS

Tendo em conta a quantidade de espécies de árvores e arbustos existentes no mercado, é necessário deslocar-se a uma loja de jardins especializada ou viveiro para recolher toda a informação sobre as melhores espécies a serem transplantadas. Algumas espécies resistem melhor à transplantação do que outras. Das mais conhecidas, destacam-se as seguintes:
  • Amieiro
  • Birch
  • Olmo Americano
  • Bordo de Prata
  • Pinheiro
  • Azeitona da Rússia
  • Pícea
  • Nogueira
  • Salgueiro

COMO TRANSPLANTAR COM SUCESSO UMA ÁRVORE OU UM ARBUSTO

Para transplantar com sucesso uma árvore ou um arbusto, deve observar minuciosamente os aspetos seguintes:

A IDADE DAS ÁRVORES E DOS ARBUSTOS

As árvores e os arbustos mais novos têm mais força e capacidade de resistência ao stress do que os mais velhos.

A TOLERÂNCIA QUE AS ÁRVORES E OS ARBUSTOS OFERECEM DURANTE A TRANSPLANTAÇÃO

Existem determinadas espécies de árvores e de arbustos que são mais tolerantes à transplantação do que outros. Ao optar pela transplantação de uma espécie de árvore ou de arbusto que não seja muito tolerante à mudança, estes podem morrer durante o processo.

A ÉPOCA DE TRANSPLANTE

As árvores e os arbustos devem ser, preferencialmente, transplantados na primavera, após o degelo dos solos e antes do florescimento das plantas. Contudo, existem espécies que podem sobreviver ao transplante em qualquer altura do ano, especialmente quando o solo não está congelado. Em alguns casos, as árvores e os arbustos também podem ser movidos no outono, após a queda das folhas e antes de a terra congelar, no entanto, esta época é mais difícil de transplantar, pois as raízes têm mais dificuldade em se adaptarem ao solo.

O NOVO LOCAL DE PLANTAÇÃO

Existem grandes diferenças nos requisitos ambientais exigidos para cada espécie de árvore ou de arbusto. No entanto, para transplantar uma árvore ou um arbusto com sucesso, deve garantir que o novo local de plantação cumpre com os requisitos seguintes:
  • Tenha uma quantidade de luz solar suficiente
  • Não fique exposto em demasia à ação do vento
  • Mantenha os níveis de pH no solo e de humidade controlados
Todas as plantas necessitam de ter espaço suficiente para o desenvolvimento das raízes e das coroas e, como tal, deve considerar o tamanho adulto da respetiva árvore ou arbusto que esteja a plantar e se tem ou não espaço suficiente para ele crescer.

O ARMAZENAMENTO E O TRANSPORTE

As árvores e os arbustos que foram escavados para serem transplantados num outro local devem ser colocados na terra o mais rapidamente possível. Para o fazer corretamente, deve cobrir o torrão com um material que retenha a humidade – como por exemplo um saco de serapilheira, turfa, lona ou plástico – até chegar o momento da plantação.

Assim que uma árvore ou arbusto é retirada da terra, tenha em atenção que ele não deve ficar exposto à luz solar, a ventos e a temperaturas extremas. As raízes não devem secar, uma vez que isso pode reduzir o sucesso do respetivo transplante. Tenha em mente que as árvores e os arbustos devem ficar bem protegidos durante o transporte para o novo local de plantação, para que as árvores ou arbustos mantenham toda a sua beleza.

COMO SE DESENROLA NA PRÁTICA O PROCESSO DE TRANSPLANTAÇÃO:

Na transplantação de uma árvore ou de um arbusto deve ter inúmeros cuidados para minimizar o sofrimento do respetivo sistema radicular. Este é, por norma, um processo de stress para a planta e deve ser efetuado sem falhas. Para o fazer corretamente, é necessário seguir os passos seguintes:
Prepare a transplantação: a transplantação de uma árvore ou de um arbusto deverá começar a ser preparada com cerca de um mês de antecedência. Este é o tempo ideal para efetuar todos os trabalhos necessários nos arbustos ou nas árvores e no novo local de plantação.
Inunde o terreno onde se encontra a árvore ou o arbusto a ser transplantado: é fundamental inundar a terra onde se encontra a árvore ou o arbusto a ser transplantado para que seja cavado o respetivo torrão. Quanto mais inundado estiver o terreno, mais fácil se torna o corte das raízes laterais. Tenha em atenção que não deve mexer, nem cortar, pelo menos para já, as raízes mais profundas, pois estas devem ficar ligadas à terra.
Envolva o torrão num material que retenha a humidade: existem vários materiais que podem ser utilizados para envolver um torrão, como por exemplo um saco de serapilheira, lona ou plástico. Independentemente do material escolhido, certifique-se que as raízes laterais não se voltam a desenvolver no mesmo local. Mantenha apenas as raízes mais profundas conectadas ao chão.
Tape novamente o buraco escavado: ao cortar as raízes laterais do torrão, teve a necessidade de abrir um buraco no solo para envolver e proteger as respetivas raízes. Depois de esse processo ter sido realizado, deve tapar novamente o buraco que cavou e aguardar pacientemente pelo dia da transplantação. Este período de espera demora aproximadamente três semanas.
Transplante a árvore ou o arbusto: para fazer a transplantação de uma árvore ou de um arbusto, é necessário retirar por completo a planta da terra, isto é, cortar as raízes mais profundas (uma vez que as laterais já se encontravam cortadas) e colocá-lo no novo local de plantação. Basta colocar o torrão na nova terra e adicionar um pouco de água para hidratar as raízes. Encha o buraco com mais terra e deixe a árvore ou o arbusto adaptar-se por si só à sua “nova casa”.

QUAIS OS CUIDADOS PRINCIPAIS A SEREM REALIZADOS DEPOIS DA TRANSPLANTAÇÃO:

Depois da transplantação de uma árvore ou de um arbusto ter sido efetuada, é necessário que um jardineiro tenha muitos cuidados na sua manutenção. Dos aspetos que devem ser efetuados, evidenciam-se os demais:
A rega das árvores ou dos arbustos: a correta irrigação de uma árvore ou de um arbusto após a sua mudança de terra é um dos fatores mais importantes e que vai determinar o sucesso ou insucesso de uma transplantação. O novo local de plantação deve ser regado com regularidade, principalmente nas duas primeiras semanas, para que o solo se mantenha húmido.
A cobertura das raízes: a palha ajuda a conservar a humidade e temperatura do solo e, como tal, deve ser utilizada para cobrir as raízes da árvore ou arbusto transplantado. Por outro lado, a sua utilização é também muito eficaz no controle das ervas daninhas que, habitualmente, crescem em redor das árvores e dos arbustos. Nesse sentido, a cobertura de raízes deve ser colocada à superfície do solo sobre o sistema radicular da árvore ou arbusto. Nesta fase, podem ser utilizados fertilizantes orgânicos para fazer com que a terra fique mais fértil e estes devem ser aplicados a cerca de 7,5 a 10 centímetros de profundidade.
A poda das árvores ou dos arbustos: a poda poderá ser exigida para o transplante de árvores ou de arbustos. Todos os ramos que estejam infetados com insetos ou hastes partidas devem ser removidos, para que a árvore ou o arbusto possa crescer de uma maneira saudável. Por outro lado, a poda dos arbustos poderá ser fundamental para equilibrar a área foliar com o tamanho reduzido do sistema radicular.
O suporte mecânico das árvores ou dos arbustos: quando a árvore ou o arbusto são muito altos, poderá ser necessário o auxílio de um suporte mecânico para que eles se fixem à terra. Para as árvores ou arbustos que necessitam de um suporte mecânico, as estacas são também uma excelente alternativa para ajudar com o crescimento e fortalecimento das raízes. Todos os suportes adicionados devem ser retirados assim que a árvore ou arbusto tenha a capacidade de se segurar por ele próprio, pois isso vai fazer com que fiquem mais fortes.


Fonte: http://omeujardim.com/artigos/como-transplantar-arvores-arbustos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você Sabe cuidar da sua Rosa do Deserto?

Aqui vão algumas dicas para que ela esteja sempre bonita:



A Rosa do Deserto é uma planta domestiscada cujo nome científico é Ademium obesum, ela necessita de polinização manual para sua reprodução, ou então adotar o método de mudas.

Modo de Cuidar:

A planta gosta de clima quente, seco e sol (a rosa precisa de muito sol para florecer);

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar (não é necessario regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar, não encharque mas regue regularmente, uma vez a cada três dias é o necessário);

É importante não deixar a água acumular em baixo do vaso. Adubar a planta a cada dois meses ( qualquer adubo orgânico para flores).



Preparação do Vaso:

No novo vaso, ( não tão maior que o atual, os vasos tem que ser trocados, porém o tamanho não pode ser muito diferente , deve-se aumentar o tamanho gradativamente). Coloque no fundo pedras, coloque uma manta de bedim para que as raizes não cheguem a sair do vaso, dai cubra…

Limão - Rosa.

Nome da fruta: Limão-cravo

Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.
Família botânica: Rutaceae
Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas. Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes. Frutificação: Inverno Propagação: Enxertia


                        Dentre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa. Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um …

Fruta do Conde

Introdução:

A ata pertence à família Annonaceae, gênero Annona, que inclui em torno de 120 gêneros e por volta de 2000 espécies. A espécie Annona squamosa produz frutos delicados, considerados dos melhores do gênero. A ata é também conhecida como pinha e fruta-do-conde no Brasil, anona blanca, sweetsop, anon, anona, rinon, atta del Brasil, srikaya, atis, etc.. 


De acordo com Braga (1960), a ateira é uma planta americana, talvez originária das Antilhas e regiões circunvizinhas. As Anonáceas são fruteiras tipicamente de clima tropical, apresentam boas perspectivas econômicas para a região Nordeste do Brasil, por serem culturas altamente adaptadas às condições locais e produzirem frutos a partir do mês de janeiro, suprindo parte da capacidade ociosa da indústria de suco de caju. 


Apesar de não se dispor de dados estatísticos, é notória a demanda crescente, tanto no mercado interno, como no externo pelos frutos de Annona squamosa L. Esse incremento na procura motivou os fruticultores e empre…