sábado, 23 de abril de 2011

FELIZ PÁSCOA !!!




Olá, Blogueiros tudo bem ?
Estou aqui para desejar uma Feliz Páscoa a todos, que não esqueçam o verdadeiro signifcado da Páscoa , comer chocolates é muito bom lógico que é, mas marca a ressureição do nosso Senhor, não esqueçamos disso !!
Que nessa Páscoa o mundo pense um pouco mais um no outro, que ajudem ao proximo, que rezemos pela PAZ, que tenho certeza é o que todos querem.
 E LEMBREM CULTIVE A VIDA , SEJA ELA QUAL FOR...

UMA PÁSCOA ABENCOADA A TODOS !!!

E obrigado por acessarem esse Blog.

Dicas de Paisagismo.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Pássaros em meu jardim.



Olá, blogueiros!
Coloquei esse comedouro de pássaros em minha casa, e coloquei algumas bananas para eles, depois de algum tempo vários pássaros estão aparecendo , e alem disso varias pragas sumiram do meu jardim, inclusive besouros, lagartas e até caramujos.
Nessa foto estão o BEM - TE -VI e o Sanhaço.

Como adaptar seu cão ao jardim.




Quanto maior o terreno, melhor e mais sofisticado pode ser o jardim. Lindos gramados bem tratados, canteiros floridos, lagos com plantas aquáticas e semi-aquáticas, caminhos bem delineados, quiosques, vasos com flores diversas, e muito mais.

Contudo, são cada vez mais necessários os cuidados com a segurança. Portões automáticos, células fotoelétricas, circuito interno e externo de televisão, etc. Todos estes equipamentos se integram sem prejuízo ao jardim Agora, imaginemos o indispensável amigo cão.

Aí a coisa quase sempre complica: gramado queimado pela urina, canteiros pisados, plantas mastigadas, caminhos viciados, sem contar as fezes por todos os lados. O que fazer? Acabar com o jardim? Bem planejado, podemos conviver com o nosso amigo, obtendo resultados médios. Escolher o cão de raça mais dócil e que permita ser adestrado.

Depois, planejar um jardim mais adequado. Piso de pedriscos, árvores de porte grande, arbustos nos cantos, jardineiras suspensas, gramados bem densos, vasos os maiores possíveis, piscina com rede, seixo, argila expandida e dormentes. Não esqueça de programar canteiros de areia fina, integrando-os ao jardim, permitindo que ensinados, os cães os usem como banheiros. A adequação do jardim às necessidades do animal permite contar com a segurança do amigo cão, integrado ao paisagismo.


Fonte de pesquisa: Informativo Verde

FONTE: http://www.paisagismobrasil.com.br/?system=news&action=read&id=1545&eid=296

Irrigação.




Quando se fala em irrigação de jardim, vem logo à cabeça um regador ou mangueira com esguicho. Nada impede que as plantas recebam a água por um desses meios, porém com muita paciência e tempo disponível. E mesmo existindo a maior boa vontade da parte de quem está regando, estes métodos tradicionais nem sempre irrigam na freqüência e quantidade adequadas.

Mas, para satisfazer as necessidades de plantas que dividem espaços de tamanhos e formas diferentes, sem gastar muito do seu tempo, foram desenvolvidos sistemas de irrigação automatizados.

Esses sistemas contêm acessórios que variam em tamanho, constância e abrangência do fluxo de água. Há aqueles mais sofisticados, com aspersores escamoteáveis, que ficam escondidos e só aparecem quando em uso, e que podem inclusive ser controlados por computador. E outros, bem mais simples, encontrados com facilidade até em supermercados.

Substituindo a mangueira comum por um sistema de irrigação subterrâneo, ou mesmo portátil, você estará proporcionando às plantas, água na freqüência e dosagem adequada. Neste caso, é importante escolher os modelos pela sua real necessidade em termos de irrigação, e não por conta da estética. Em síntese, tudo depende do tamanho do jardim, do tempo e dinheiro que você se dispõe a gastar.

Se o seu jardim já estiver pronto não tem problema, a instalação do sistema fixo e subterrâneo é rápida e não danifica as plantas.



domingo, 17 de abril de 2011

Cachepôs....




Pessoal esse cachepôs fiz em minha casa, com mudas de Oregano e Bela - Emília.

Minha Horta...









Olá, blogueiros, tudo bem ?
Há um tempo atrás aqui em casa , faziamos churrasco em um tambor, mas com o passar do tempo esse tambor foi sendo deixado de lado, e então pensando em o que utilizar esse tambor, fiz uma horta dentro desse tambor e hoje tenho nele:
Manjeiricão,
Tomate - Cereja;
Cebolinha;
Salsinha;
Pimenta;
Espinafre.

Paisagismo é isso, pensem sempre antes de jogar algo no lixo.

Detalhe , olhando assim você pode pensar que pouca terra foi utilizada, mas foram utlizadas 75Kg de Terra, se alguém quiser fazer em sua casa de mande um email, que passo o que colocar la certinho.

Um abraço a todos.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

NIM

Árvore de origem asiática ajuda a combater o mosquito da dengue;


O nim, uma árvore de origem asiática, está ajudando a combater o mosquito da dengue, no Piauí. As folhas possuem uma substância inseticida que afasta os insetos.


A árvore afasta os insetos e já está em quase todos os bairros. O professor Francisco Leal, da Universidade Federal do Piauí, que há 11 anos desenvolve pesquisa sobre a planta, explica que o nim possui substâncias naturais na seiva. “O mosquito não gosta do doce e da seiva dessa planta. Ela inibe a alimentação e diminui o crescimento dos insetos e a reprodução”, diz o pesquisador Francisco Leal.

A popularização do nim começou em Teresina há um ano. Os viveiros públicos passaram a produzir e a doar mudas da árvore. Em um ano, foram doadas 20 mil mudas.

A prefeitura também está doando mudas de citronela, outra planta de origem asiática com ação repelente. “Uma pulseira de citronela tem o efeito de repelir num raio de 50 metros quadrados qualquer inseto que esteja próximo dela”, esclarece Claudiney Feitosa, gerente Meio Ambiente.

Aprenda uma receita de repelente natural de citronela:

Ingredientes:

- 500 ml de água

- 100 gramas de folha de citronela picada

- 30 ml de álcool

Preparo:

Em um liquidificador, coloque a água e metade das folhas da citronela, bata por cerca de 3 minutos. Depois a mistura deve ser coada e usada para bater o restante das folhas, também por 3 minutos. Em seguida, é preciso coar novamente a mistura para acrescentar o álcool. Continue batendo por 1 minuto e está pronto.

FONTE: http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/04/arvore-de-origem-asiatica-ajuda-combater-o-mosquito-da-dengue.html

Sustentabilidade paisagística: a importância de exalar vida ao planeta.



Nas ondas da sustentabilidade ambiental, social, econômica e corporativa, um leque foi aberto para suprir os demais segmentos que querem investir na ação. Assim, surgiu a sustentabilidade paisagístista. Tudo por um planeta conservado! Mas, qual será o real significado desta palavra? Seu conceito quer dizer "o desenvolvimento presente garantido para o futuro das próximas gerações". Seguindo alguns parâmetros, toda a humanidade pode, por exemplo, explorar outras fontes de recursos energéticos ou preservar áreas ambientais, auxiliando na garantia do desenvolvimento. Esse não é um termo novo; porém, seu papel tem se tornado constitutivo nos últimos anos - isso porque as mudanças climáticas e os desastres ecológicos têm sido frequentes, quase rotineiros na sociedade global.
Entretanto, até agora você deve estar se perguntando: como a sustentabilidade é implantada no paisagismo? Essa profissão já não é, por si só, sustentável? De acordo com a Engenheira Florestal, especialista em Paisagismo, Diacuy de Mesquista Fialho Crema, de Curitiba (Paraná), "o desenvolvimento sustentável é o que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem às suas próprias prioridades. Dessa forma, surge uma nova maneira de lidar com esse conceito atuando em qualquer profissão. A sustentabilidade é um objetivo a ser alcançado por todo profissional atento às necessidades do mercado", explica.
Diacuy considera o paisagismo como uma excelente oportunidade para empresas que já perceberam o valor dessa nova competência. Muitos itens essenciais para a sustentabilidade passam despercebidos, como materiais e soluções hidráulicas e consumo de energia. Às vezes, é complicado mostrar ao consumidor onde estão as melhorias, na avaliação da Engenheira. "As áreas destinadas ao paisagismo podem revelar ao consumidor a seriedade e o valor que a empresa dá ao assunto", afirma. Assim, é possível estreitar a relação que essa profissão tem com o comprometimento de exalar vida ao planeta.
A ação agrega benefícios visíveis ao meio ambiente. Mas, e para o bolso? Esses projetos podem ser mais onerosos? A especialista explica que alguns itens podem representar um custo significativo. Contudo, ressalta que já existe um público bem informado, que quer investir nesse tipo de paisagismo. "São os condomínios inteiros, proprietários particulares e construtoras que querem agregar valor a seus empreendimentos. Esses estão dispostos a pagar um pouco mais para terem um paisagismo sustentável", pontua. Em contrapartida, nem todos os projetos denotam preço alto. "Algumas ações não implicam nesse aumento de custo, como uso de espécies nativas, cuidado no uso de espécies invasoras e compostagem doméstica", pondera.
A Associação Nacional de Paisagismo (ANP), nesse contexto, criou o "Programa de Paisagismo e Sustentabilidade", na tentativa de conscientizar aquelas empresas que planejam reformas paisagísticas. De acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (EMPBRAESP), aproximadamente dez capitais - e suas respectivas regiões - terão suas estruturas refeitas entre 2009 e 2012. O mercado formal, que cultiva árvores nativas para projetos paisagísticos, já tem apresentado um excesso de consumo nessa produção, diminuindo a capacidade de atendimento. Para tanto, a criação do programa visa a suspender o extrativismo para a preservação das florestas.
Renováveis ou não, os elementos naturais são suscetíveis a adequação, e a Engenheira declara que as formas de atuar são inúmeras. "Já temos algumas aplicações, mas é um desafio diário descobrir que tipo de impacto pode surgir de nossas intervenções na paisagem", informa.
Diacuy cita algumas alternativas importantes para a concepção de um projeto sustentável de qualidade:


· Conforto e segurança nos espaços de convivência externos;

· Uso de materiais e técnicas duráveis (ciclo completo do produto);

· Uso de Espécies vegetais nativas;

· Aproveitamento de materiais regionais como utilização de insumos;

· Cuidado na utilização de espécies invasoras;

· Utilização de telhados verdes;

· Bom uso de espécies caducas e perenes;

· Uso de materiais permeáveis em pisos;

· Uso de espécies comestíveis (frutas, temperos, chás, etc.);

· Possibilitar uso de compostagem doméstica nos projetos;

· Jardins com custos de manutenção menores;

· Reaproveitamento da água para irrigação de jardins.

FONTE: http://www.auepaisagismo.com/?id=Sustentabilidade-paisagistica:-a-importancia-de-exalar-vida-ao-planeta&in=887

terça-feira, 12 de abril de 2011

Congéia ou (Congea tomentosa).


Nome Científico: Congea tomentosa

Nome Popular: Congéia, Côngea

Família: Verbenaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Índia, Malásia, Burma, Tailândia

Ciclo de Vida: Perene

A congéia é uma trepadeira de ramagem lenhosa, ramificada, conhecida no mundo todo devido ao seu florescimento decorativo. Suas folhas são elíptico-ovaladas, opostas, tomentosas (pilosas), perenes, de cor verde clara e com nervuras bem marcadas. No fim do inverno e início da primavera a congéia floresce, exibindo numerosas flores brancas, pequenas e discretas, mas cada uma circundada por três brácteas em forma de hélice, muito vistosas e duráveis, que mudam de cor gradativamente, do rosa para o roxo e posteriormente para o cinza, ao longo de várias semanas. A floração é tão densa e abundante que mal se pode ver a folhagem.
A congéia é uma trepadeira muito vigorosa e exuberante, com textura delicada. Apesar de tropical, ela se encaixa em diferentes estilos de jardins, e pode cobrir cercas, grades, caramanchões, pérgolas, pórticos e coroar muros. Também pode ser conduzida como arbusto e cerca-viva. As podas, realizadas após o florescimento, auxiliam na formação e contenção da planta e estimulam seu adensamento. Os ramos floridos da congéia podem ainda ser utilizados como flor-de-corte em buquês e arranjos florais.
Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Para plantio em renques se recomenda a distância mínima de um metro entre as plantas. Trepadeira tipicamente tropical, aprecia o calor e não tolera geadas ou nevascas. Em países de clima temperado deve ser protegida no inverno em estufas. Multiplica- se por estaquia ou alporquia, após o florescimento, ou por sementes.

FONTE: http://www.jardineiro.net/br/banco/congea_tomentosa.php

terça-feira, 5 de abril de 2011

Amoreira ou ( Morus nigra)













Árvore frutífera muito difundida em todo o mundo pelo caráter ornamental e pelos frutos saborosos de polpa carnuda. São utilizados para consumo in natura ou preparo de sucos e doces, além de serem muito apreciado por aves como sabiás, tiês, sanhaços, gaturamos, bem- te - vis e saíras. A planta pode ser usada em jardins ou calçadas, tem crescimento rápido e atinge a 10 m de altura. A partir de dois anos após o cultivo, já produz as primeiras safras, ela é nativa da CHINA, típica de clima temperado quente, é tolerante a regiões de clima subtropical e tropical de altitude. Reproduze-se por estaquia.

Fonte: Paisagismo para pequenos espaços, Pag; 110, Ed;Europa.

Viveiro

Segue abaixo as fotos das mudas que estamos fazendo para venda, estamos muito no começo...porém bem difícil com muito poucas vendas, poucas ...