segunda-feira, 18 de abril de 2011

Irrigação.




Quando se fala em irrigação de jardim, vem logo à cabeça um regador ou mangueira com esguicho. Nada impede que as plantas recebam a água por um desses meios, porém com muita paciência e tempo disponível. E mesmo existindo a maior boa vontade da parte de quem está regando, estes métodos tradicionais nem sempre irrigam na freqüência e quantidade adequadas.

Mas, para satisfazer as necessidades de plantas que dividem espaços de tamanhos e formas diferentes, sem gastar muito do seu tempo, foram desenvolvidos sistemas de irrigação automatizados.

Esses sistemas contêm acessórios que variam em tamanho, constância e abrangência do fluxo de água. Há aqueles mais sofisticados, com aspersores escamoteáveis, que ficam escondidos e só aparecem quando em uso, e que podem inclusive ser controlados por computador. E outros, bem mais simples, encontrados com facilidade até em supermercados.

Substituindo a mangueira comum por um sistema de irrigação subterrâneo, ou mesmo portátil, você estará proporcionando às plantas, água na freqüência e dosagem adequada. Neste caso, é importante escolher os modelos pela sua real necessidade em termos de irrigação, e não por conta da estética. Em síntese, tudo depende do tamanho do jardim, do tempo e dinheiro que você se dispõe a gastar.

Se o seu jardim já estiver pronto não tem problema, a instalação do sistema fixo e subterrâneo é rápida e não danifica as plantas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Euterpe olearacea Mart.

Pequeno, redondo e de cor azul-noite, quase negro, o açaí pode ser considerado a pérola da Amazônia. O açaizeiro faz parte da família da...