Pular para o conteúdo principal

Limão - Rosa.

 Nome da fruta: Limão-cravo
 
Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.

Família botânica: Rutaceae

Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas.
Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes.
Frutificação: Inverno
Propagação: Enxertia



                        Dentre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa.
Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um limoeiro-cravo. Proveniente da Ásia, talvez seja a árvore exótica que melhor tenha se adaptado a estas terras que se denominam Brasil, podendo ser encontrado em qualquer beira de praia ou pasto pelo interior.
Pequeno, rústico, de folhas muito verdes, quando frutifica o limoeiro-cravo fica pontilhado de frutos feios, porque manchados e irregulares, quase disformes, de forte cor alaranjada, por fora e por dentro. No entanto, se a casca do limão-cravo, de aparência grosseira e agreste, é suscetível ao ataque de agentes externos como fungos e doenças, por dentro ele costuma permanecer sempre são e com bastante sumo.
Também conhecido por limão-francês ou limão-vinagre, a fruta, em si, não apetece a vista, mas vale o fechar dos olhos: a polpa azedíssima, já não tão laranja, desfaz-se em um saborosíssimo suco, ainda mais rico em vitamina C do que o de seus parentes mais conhecidos. Com tantas excelentes qualidades, o limão-cravo tem fiéis consumidores entre aqueles que o encontram nos fundos de quintais e pomares.
O principal uso do limoeiro-cravo, entretanto, talvez seja um pouco menos nobre do que o consumo do suave e ácido suco de seu fruto. Uma das características mais apreciadas da planta é justamente a resistência e a rusticidade da árvore, e não particularmente a riqueza e o sabor da fruta: no Brasil, essa árvore costuma ser o cavalo preferido para enxertia dos demais cítricos, sobretudo da laranja e do limão-taiti.
Embora, dessa forma, o limoeiro-cravo continue prestando um importante serviço, certamente não deixa de ser um pena a pouca ou nenhuma produção comercial de seu fruto, o próprio limão-cravo.


Fonte : http://poderdasfrutas.com/categoria/limao-cravo

Foto:  http://pimentasnucleares.blogspot.com.br/

Comentários

  1. Olá Rodrigo!
    Que bom encontrar o seu blog, estava procurando informações sobre a Rosa-do-deserto, e achei tantas outras excelentes pesquisas que fiquei admirando imagens e textos tão preciosos!
    Continue nos encantando com este teu carinho com a natureza!!!!
    Abraços❀

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tudo bem ?
      Amo a natureza, e sempre que puder ajudar quem gosta da natureza irei ajudar...obrigado pelos elogios..
      Fique com Deus..
      Abraço...

      Excluir
  2. Aqui, em Itaperuna -RJ, conhecemos esta planta como limão-galego. Por ser tão resistente, é por vezes visto como uma praga. É isso que dá ser tão eficiente e resistente.

    ResponderExcluir
  3. Alguém pode me ajudar., tenho um pé de limão rosa com mais ou menos um ano e agora ele está amarelando, o que pode ser.
    mc-visentim@bol.com.br

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Rodrigo.
    Eu adoro limão rosa. Gostaria muito de ter um pé em casa. O problema é que moro em apartamento. Será que um limoeiro sobreviveria plantado num vaso bem grande, mas dentro de casa?
    Teria como você me tirar esta dúvida?
    Obrigada!
    Ah, parabéns pelo seu blog. Li a sua matéria sobre como cuidar da rosa do deserto e adorei.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, Rodrigo.
    Eu adoro limão rosa e gostaria muito de ter um pé em casa. O problema é que moro em apartamento. Você saberia me informar se é possível cultivar um dentro de casa, plantado num vaso bem grande?
    Ah, parabéns pelo blog. Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite;
      Acredito que não consiga plantio em vaso, porém pode fazer uma tentativa e quando ver que não está mais desenvolvendo pode as raízes dele.
      Abraço;
      Rodrigo.

      Excluir
  6. Bom dia, Rodrigo.
    Eu adoro limão rosa. Gostaria muito de ter um pé em casa. O problema é que moro em apartamento. Será que um limoeiro sobreviveria plantado num vaso bem grande, mas dentro de casa?
    Teria como você me tirar esta dúvida?
    Obrigada!
    Ah, parabéns pelo seu blog. Li a sua matéria sobre como cuidar da rosa do deserto e adorei.

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber sobre o que fazer? Ou se devo adubar o meu pé de limão esta lindo mas o fruto esta enrugado e com a casca grossa e rústica . O que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde;

      Infelizmente não saberei te responder.

      Obrigado.

      Excluir
  8. Estou com um Pe de Limão Cravo e ele ja esta com uns 2 metros..ainda não deu frutos...tem quase 2 anos de idade, porem aparecei nas folhas umas cascas tipo ferrugem e umas manchas pretas...preciso fazer algo ou isso é normal.

    Abraço..

    ResponderExcluir
  9. Bom dia!!!
    Obrigada pelo seu comentário sobre o Limão. Muito bom mesmo!
    Por favor gostaria de saber porque meus dois pés de limão Rosa não ficam mais com a cor laranja. Normalmente a casca está sempre dura. Fico muito triste ,pois de todas as frutas que tenho, estes dois pés de limão são os que mais amo. Aguardo ansiosa pela sua orientação! Muito obrigada! E que em todos os teus afazeres ,que Deus continue o abençoando grandemente!!! Abraços! Sônia. Belo Horizonte-MG

    ResponderExcluir
  10. Bom dia, amigo Rodrigo plantei um pe de limao cravo ,no meu quintal, e ele ja tem uns tres anos,e ele so esta crecendo e nao da flor ,gostaria que vc poderia explicar o porque que esta planta demora p/ dar fruto Rodrigo ja coloquei adubo ,nao sei o que fazer. abraco e obrigado

    ResponderExcluir
  11. Que mensagem bonita ! O cultivo a vida !! 👏🏻

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você Sabe cuidar da sua Rosa do Deserto?

Aqui vão algumas dicas para que ela esteja sempre bonita:



A Rosa do Deserto é uma planta domestiscada cujo nome científico é Ademium obesum, ela necessita de polinização manual para sua reprodução, ou então adotar o método de mudas.

Modo de Cuidar:

A planta gosta de clima quente, seco e sol (a rosa precisa de muito sol para florecer);

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar (não é necessario regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar, não encharque mas regue regularmente, uma vez a cada três dias é o necessário);

É importante não deixar a água acumular em baixo do vaso. Adubar a planta a cada dois meses ( qualquer adubo orgânico para flores).



Preparação do Vaso:

No novo vaso, ( não tão maior que o atual, os vasos tem que ser trocados, porém o tamanho não pode ser muito diferente , deve-se aumentar o tamanho gradativamente). Coloque no fundo pedras, coloque uma manta de bedim para que as raizes não cheguem a sair do vaso, dai cubra…

Fruta do Conde

Introdução:

A ata pertence à família Annonaceae, gênero Annona, que inclui em torno de 120 gêneros e por volta de 2000 espécies. A espécie Annona squamosa produz frutos delicados, considerados dos melhores do gênero. A ata é também conhecida como pinha e fruta-do-conde no Brasil, anona blanca, sweetsop, anon, anona, rinon, atta del Brasil, srikaya, atis, etc.. 


De acordo com Braga (1960), a ateira é uma planta americana, talvez originária das Antilhas e regiões circunvizinhas. As Anonáceas são fruteiras tipicamente de clima tropical, apresentam boas perspectivas econômicas para a região Nordeste do Brasil, por serem culturas altamente adaptadas às condições locais e produzirem frutos a partir do mês de janeiro, suprindo parte da capacidade ociosa da indústria de suco de caju. 


Apesar de não se dispor de dados estatísticos, é notória a demanda crescente, tanto no mercado interno, como no externo pelos frutos de Annona squamosa L. Esse incremento na procura motivou os fruticultores e empre…