Pular para o conteúdo principal

NOGUEIRA - PECAN.

(Carya illinoinensis)

A nogueira-pecan é uma grande árvore frutífera, decídua, monóica, longeva e ornamental, originária da América do Norte. A palavra “Pecan” significa “Noz que necessita de uma pedra para quebrar”. O porte desta árvore impressiona, principalmente nos indivíduos mais velhos, que chegam a alcançar 44 metros de altura. Seu crescimento no entanto é bastante lento, e com 10 anos, alcança cerca de 5 metros de altura. A média das nogueiras-pecan adultas é de 12 a 23 metros, com 2 metros de diâmetro de tronco. O tronco é retilíneo e a casca, cinzenta e lisa nos indivíduos jovens, torna-se sulcada, áspera e marrom avermelhada com o passar dos anos. As folhas são alternas, verdes e pinadas, com cerca de 9 a 17 folíolos acuminados.

As inflorescências são terminais, sendo do tipo amentilho nas masculinas, que são longas e pêndulas, com numerosas flores, e do tipo espiga nas femininas, que tem flores menores e em menor número. As flores não são muito atrativas, pois são verdes e discretas, confundindo-se com a folhagem. A polinização é feita pelo vento. Os frutos são do tipo drupa, e consistem de uma noz ovóide a oblonga, envolta em uma casca verde e espessa, que se torna marrom e se abre quando madura, dividindo-se em quatro partes. A noz apresenta uma casca lenhosa e contém uma amendoa deliciosa, com sabor rico, único, doce e amanteigado. As nozes podem ser consumidas frescas ou cozidas, em uma grande variedade de pratos doces e salgados, com destaque para tortas, chocolates, licores, assados, saladas, rizotos, sorvetes, bolos finos e docinhos de festa. São reconhecidamente muito nutritivas e consideradas como alimento funcional, principalmente por serem ricas em minerais essenciais, vitamina E e ácidos graxos monoinsaturados e polinsaturados.

É uma árvore elegante, para se cultivar em amplos jardins residenciais, industriais ou em pomares domésticos. Seu tamanho adulto deve ser levado em consideração na escolha do espaço, para que não venha a se tornar um problema mais tarde. É uma espécie que requer paciência, mas que recompensa por várias gerações o cuidado desprendido. A manutenção é mínima e reduzida aos cuidados do plantio e dos primeiros anos após a implantação. A madeira também é de excelente qualidade, interessante na produção de móveis. As nozes são atrativas para os esquilos.


A nogueira-pecan deve ser cultivada sob sol pleno, preferencialmente em solos férteis, profundos, enriquecidos com matéria orgânica e irrigados regularmente nos primeiros anos de implantação. Tem grande capacidade de adaptação, vegetando bem em diferentes tipos de solo e condições climáticas. No entanto, não tolera encharcamentos ou secas prolongadas. De crescimento lento, deve ser fertilizada anualmente. Multiplica-se por sementes, mas mais comumente por estaquia, enxertia e borbulhia. Os cavalos geralmente são cultivados de sementes, enquanto que os cavaleiros por borbulhia. Ocorrem mais de 500 diferentes variedades de nogueiras-pecan, que variam principalmente quanto a produtividade e características dos frutos. Mudas enxertadas de plantas híbridas podem iniciar a produção entre o 2º e o 4º após o plantio. Mudas oriundas de sementes iniciam a produção entre 15 a 20 anos após o plantio. Em ambos os casos a longevidade das plantas é bastante elevada, superando 200 anos. O espaçamento recomendado situa-se entre 7 a 10 metros entre plantas e entrelinhas.




Comentários

  1. gostaria de saber se orquideas se dão bem no seu tronco???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que vá bem sim...
      Não haverá problema algum....

      abraço.

      Excluir
  2. Olá,
    temos uma nogueira aqui e está produzindo pela primeira vez. Já caíram as primeiras nozes, mas quando abrimos me pareceram um tanto amargas, amarrando um pouco.
    É assim mesmo? Devo esperar mais um pouco para consumir?
    Grato pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite,gostaria de saber se ainda tem a árvore e vc poderia me fornecer algumas nozes para tentar fazer muda, obrigado pela atenção.

      Excluir
    2. Boa noite,gostaria de saber se ainda tem a árvore e vc poderia me fornecer algumas nozes para tentar fazer muda, obrigado pela atenção.

      Excluir
  3. Você tem que esperar elas secarem um pouco ,a amêndoa solta mais facilmente da casca.Deixe elas no sol por uns dias ,virando de vez em quando .

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de saber se posso adubar com folhas secas ao redor do tronco da Noz Pecã? Coloquei uma proteção ao redor do tronco.
    Maria

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo, como são plantadas as sementes para q germinem?

    ResponderExcluir
  6. olá, tenho um pé de nogeira um ano só que ela produziu bem mas depois disso, ela todos os anos florece muito mas cuando os frutos estao pela ametade do tamanho caem todos , oque devo fazer devo pulverizar com algum produto que tipo ? de pulverização devo aplicar ? ficarei grata pela atenção.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tenho dúvidas quanto a caiação do Tronco, seria indicado utilizar calda bordalesa ou somente a cal?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você Sabe cuidar da sua Rosa do Deserto?

Aqui vão algumas dicas para que ela esteja sempre bonita:



A Rosa do Deserto é uma planta domestiscada cujo nome científico é Ademium obesum, ela necessita de polinização manual para sua reprodução, ou então adotar o método de mudas.

Modo de Cuidar:

A planta gosta de clima quente, seco e sol (a rosa precisa de muito sol para florecer);

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar (não é necessario regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar, não encharque mas regue regularmente, uma vez a cada três dias é o necessário);

É importante não deixar a água acumular em baixo do vaso. Adubar a planta a cada dois meses ( qualquer adubo orgânico para flores).



Preparação do Vaso:

No novo vaso, ( não tão maior que o atual, os vasos tem que ser trocados, porém o tamanho não pode ser muito diferente , deve-se aumentar o tamanho gradativamente). Coloque no fundo pedras, coloque uma manta de bedim para que as raizes não cheguem a sair do vaso, dai cubra…

Limão - Rosa.

Nome da fruta: Limão-cravo

Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.
Família botânica: Rutaceae
Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas. Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes. Frutificação: Inverno Propagação: Enxertia


                        Dentre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa. Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um …

Fruta do Conde

Introdução:

A ata pertence à família Annonaceae, gênero Annona, que inclui em torno de 120 gêneros e por volta de 2000 espécies. A espécie Annona squamosa produz frutos delicados, considerados dos melhores do gênero. A ata é também conhecida como pinha e fruta-do-conde no Brasil, anona blanca, sweetsop, anon, anona, rinon, atta del Brasil, srikaya, atis, etc.. 


De acordo com Braga (1960), a ateira é uma planta americana, talvez originária das Antilhas e regiões circunvizinhas. As Anonáceas são fruteiras tipicamente de clima tropical, apresentam boas perspectivas econômicas para a região Nordeste do Brasil, por serem culturas altamente adaptadas às condições locais e produzirem frutos a partir do mês de janeiro, suprindo parte da capacidade ociosa da indústria de suco de caju. 


Apesar de não se dispor de dados estatísticos, é notória a demanda crescente, tanto no mercado interno, como no externo pelos frutos de Annona squamosa L. Esse incremento na procura motivou os fruticultores e empre…