Pular para o conteúdo principal

Um planeta sustentável começa dentro de casa.


Um planeta sustentável começa dentro de casa

Pode parecer exagero, mas um banho de 15 minutos é o bastante para estourar o consumo de água diário estabelecido pela ONU para atender as necessidades de consumo e higiene.

Esse simples banho de 15 minutos gera um gasto de 135 litros de água. Pelos padrões da ONU, o consumo deveria ficar em torno de 110 litros diários por pessoa.

Levando à conta os gastos de água para fazer comida, lavar a louça, escovar os dentes, lavar a roupa, regar as plantas, ingerir na hora de matar a sede... pronto. O consumo médio por pessoa é sinônimo de desperdício.

A única saída é educar e estabelecer regras que comecem dentro de casa. Veja a seguir as principais delas:

1. No banheiro

Banho
Ele deve ser rápido. Ligue a água para se molhar, feche o registro e se ensaboe. Depois abra o registro e tire a espuma. Habitue-se a usar uma bacia sob os pés para armazenar a água do banho e depois usá-la para lavar o quintal, por exemplo.
A água que cai do chuveiro também pode ser reaproveitada para lavar a roupa ou qualquer outra atividade da casa. Para isso, deve-se colocar um balde ou bacia embaixo para armazenar aquela água.
Escovar os dentes
Uma escovada de cinco minutos com a torneira não muito aberta representa um gasto de 12 litros de água. Por isso molhar a escova e fechar a torneira e depois enxaguar a boca com um copo de água pode significar a economia de 11,5 litros de água.
Lavar o rosto
Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água. A dica é não demorar.
O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.
Vaso sanitário
Uma bacia sanitária com a válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Opte por bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001), que podem chegar a volumes de 6 litros por descarga. Fique de olho na válvula defeituosa, que podem levar o consumo à casa dos 30 litros. Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa.

2. Na cozinha

Lavando a louça
Limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo e, então, abra a torneira novamente para novo enxágue. Ao beber um copo d’água, você gastará outros dois apenas para lavá-lo.
Lavando louça com a torneira meio aberta por 15 minutos, serão utilizados 117 litros de água. A economia com as dicas acima pode chegar a 20 litros. Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros. Só a utilize quando estiver cheia.
Frutas e verduras
Na higienização, utilize cloro ou água sanitária de uso geral (uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos). Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível.

3. Área de serviço

Lavar roupa
No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. O melhor é deixar acumular roupa, colocar a água no tanque para ensaboar e manter a torneira fechada. A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros. O ideal é usá-la somente com a capacidade total. Por isso, sempre junte a roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez.
Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágüe. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço.

4. Calçada e carro

Quintal
Adote o hábito de usar a vassoura, e não a mangueira, para limpar a calçada e o pátio da sua casa. Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum e que traz grandes prejuízos. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água.
Carro
Muita gente gasta até 30 minutos ao lavar o carro. Com uma mangueira não muito aberta, gastam-se 216 litros de água. Com meia volta de abertura, o desperdício alcança 560 litros. Para reduzir, basta lavar o carro somente uma vez por mês -- com balde. Nesse caso, o consumo é de apenas 40 litros. (Sabesp)



Fonte de pesquisa: Jornal Diário do Pará


FONTE: http://www.paisagismobrasil.com.br/index.php?system=news&news_id=1629&action=read

Postagens mais visitadas deste blog

Você Sabe cuidar da sua Rosa do Deserto?

Aqui vão algumas dicas para que ela esteja sempre bonita:



A Rosa do Deserto é uma planta domestiscada cujo nome científico é Ademium obesum, ela necessita de polinização manual para sua reprodução, ou então adotar o método de mudas.

Modo de Cuidar:

A planta gosta de clima quente, seco e sol (a rosa precisa de muito sol para florecer);

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar (não é necessario regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar, não encharque mas regue regularmente, uma vez a cada três dias é o necessário);

É importante não deixar a água acumular em baixo do vaso. Adubar a planta a cada dois meses ( qualquer adubo orgânico para flores).



Preparação do Vaso:

No novo vaso, ( não tão maior que o atual, os vasos tem que ser trocados, porém o tamanho não pode ser muito diferente , deve-se aumentar o tamanho gradativamente). Coloque no fundo pedras, coloque uma manta de bedim para que as raizes não cheguem a sair do vaso, dai cubra…

Limão - Rosa.

Nome da fruta: Limão-cravo

Nome científico: Citrus bigaradia Loisel.
Família botânica: Rutaceae
Características da planta: Árvore de pequeno porte, chegando a cerca de 5 metros de altura, copa arredondada. Folhas de coloração verde intenso e pecíolo alargado, fortemente aromáticas quando maceradas. Flores pequenas, alvas, aromáticas e melíferas. Fruto: Tipo esperídio, globoso, ligeiramente achatado, casca de coloração verde-amarelada, amarela ou amarelo-avermelhada na maturação. Polpa ácida, amarga, envolvendo muitas sementes. Frutificação: Inverno Propagação: Enxertia


                        Dentre os cítricos, não há árvore mais resistente do que a do limão-cravo. Não foi à toa, portanto, que ela difundiu-se com mais facilidade e velocidade por todos os recantos da América, assim que a família dos frutos cítricos foi trazida da Europa. Agora, quase não há rincão, quintal ou km silvestre deste continente em que não haja – ou em que não tenha havido um dia – pelo menos um …

Fruta do Conde

Introdução:

A ata pertence à família Annonaceae, gênero Annona, que inclui em torno de 120 gêneros e por volta de 2000 espécies. A espécie Annona squamosa produz frutos delicados, considerados dos melhores do gênero. A ata é também conhecida como pinha e fruta-do-conde no Brasil, anona blanca, sweetsop, anon, anona, rinon, atta del Brasil, srikaya, atis, etc.. 


De acordo com Braga (1960), a ateira é uma planta americana, talvez originária das Antilhas e regiões circunvizinhas. As Anonáceas são fruteiras tipicamente de clima tropical, apresentam boas perspectivas econômicas para a região Nordeste do Brasil, por serem culturas altamente adaptadas às condições locais e produzirem frutos a partir do mês de janeiro, suprindo parte da capacidade ociosa da indústria de suco de caju. 


Apesar de não se dispor de dados estatísticos, é notória a demanda crescente, tanto no mercado interno, como no externo pelos frutos de Annona squamosa L. Esse incremento na procura motivou os fruticultores e empre…