quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Espécies Inadequadas para Plantio em Vias Públicas Urbanas

A diversidade biológica é um fator importante para a escolha das espécies a se plantar, porém, no que tange as áreas urbanas, particularmente em vias públicas, há que se reconhecer que há espécies inconvenientes.
De forma geral, devem-se evitar espécies que exijam podas freqüentes, tenham cerne frágil (ex.: guapuruvu) ou caule e ramos quebradiços, que sejam muito suscetíveis ao ataque de cupins, brocas e fungos, que tenham espinhos no caule (ex.: paineira), ou contenham substâncias tóxicas ou causadoras de alergias ou da morte de fauna nativa (ex.: espirradeira, espatódea, aroeira-brava).
Consulte informações sobre as espécies inadequadas mais comuns na Tabela 2.

Espécies Inadequadas para Plantio em Vias Públicas Urbanas

EspéciePor que seu plantio é desaconselhado em vias urbanas?Fotos
Nome popularNome científicoCorpoFolha
AbacateiroPersea americanaFrutos grandes e carnosos que, ao caírem, sujam as vias e atraem ratos e insetos.--
Aroeira-bravaLithraea molleoidesSubstâncias causadoras de alergias a pessoas sensíveis.--
EspatódeaSpathodea campanulataÁrvore africana, causa a morte de abelhas brasileiras.verver
EspirradeiraNerium oleanderSubstâncias tóxicas em toda a planta, capazes de causar envenenamento.--
Falsa seringueiraFicus elasticaRaízes superficiais, que causam o levantamento da calçada.--
FigueiraFicus benjaminaRaízes superficiais, que causam o levantamento da calçada.verver
FlamboyantDelonix regiaRaízes superficiais, que causam o levantamento da calçada.--
GuapuruvuSchizolobium parahybaCrescimento muito rápido, ficando com o cerne frágil e facilidade de queda.verver
MangueiraMangifera indicaFrutos grandes e carnosos que, ao caírem, sujam as vias e atraem ratos e insetos.--
PaineiraCeiba speciosaSeus grandes acúleos (“espinhos”) no caule podem ferir transeuntes.--
TipuanaTipuana tipoMuito suscetível ao ataque de cupins.verver


Fonte : http://www.sapp.org.br/sapp/arborizacao/especies-inadequadas/

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Arborização urbana para alimentar e atrair as aves

Origem: Mata Atlântica (Sul do Brasil)
Projeto CevAdeil, iniciado em 2009.
Idealizador: José Renato “Gazão”
Início de produção do Arvoredo da Fruta de Sabiá: Entre 08 à 12 meses.
Fruta de Sabiá em Belo Horizonte, MG.
Arvoredo de porte médio, que atinge mais ou menos 04 metros na sua maturidade. Produz durante grande parte do ano pequenos frutos que crescem em seus galhos, como se fossem pequenas jabuticabas. Com mais ou menos 08 milímetros de diâmetro, amareladas e adociadas quando maduras.
Fruta de Sabiá, atrai diversas espécies de Pássaros onde plantada. Alimento natural adorado de forma surpreendente e encantadora por nossos amigos voadores. Muito adorada também, por todas as espécies de peixes nativos, podendo então ser plantada à beira de rios, tornando-se um alimento natural que também é adorado pelos peixes.
Fruto adorado por praticamente todos os nossos Pássaros Silvestres, como por exemplo, Sabiás, Bem-te-vis, Sanhaços, João velhos, Galos do campo, Beija-flor, Tico-ticos-rei, Saíras, Trinca-ferros, Tiês, Gaturamos, Jutitis, Chocões-barrados, entre outras dezenas de espécies.
sabiá e a fruta de sabiá
Os pássaros visitam o arvoredo da Fruta de Sabiá o dia todo, se alimentando e levando em seus bicos comida para seus filhotes, coisa lindíssima de se ver. A Fruta de Sabiá também é adorado por galinhas, pode ser plantado dentro do galinheiro. Os Fruta de Sabiá podem ser consumidos por humanos.
Grande importância na contribuição ao nosso Meio Ambiente – os Pássaros disseminam suas sementes fazendo um florestamento natural. Além de grande contribuição ao Meio Ambiente pela alimentação de várias espécies de Pássaros e Peixes, é uma planta extremamente indicada para recuperação de áreas degradadas.
O Projeto CevAdeil faz o trabalho de Resgate e disseminação deste arvoredo, e eu, Zé Renato, garanto que com sua cultura nos jardins, quintais, praças, sítios, chácaras, fazendas, rios… estaremos contribuindo de maneira fenomenal com nosso Meio Amiente com a alimentação de dezenas de Pássaros. Estes que com certeza estão sofrendo muito com relação à falta de alimentação, numa era que só se ouve falar em desmatamento e fogos nas matas.
Plante a Fruta de Sabiá e tenha Pássaros Silvestres como vizinhos!
Notas do idealizador:
Nome científico: Acnistus arborescens
Nome popular: Fruta de Sabiá
Projeto CevAdeil: Ceva – de cevar peixes e pássaros. Adeil – Um grande plantador da nossa região.
Semeando abrigos e alimentos para as aves.

Dicas de Podas

É possível operar maravilhas nas plantas através de boas técnicas de poda. O crescimento vegetal, tanto radial quanto vertical, é determinado pela concentração de hormônios de crescimento (auxina) nos ápices dos ramos, por isso, ao cortarmos a ponta dos galhos cortamos também o suprimento de hormônios daquela região. A planta então irá direcionar o crescimento para outros ramos, onde o hormônio de crescimento está abundante.Através da poda seletiva podemos criar uma planta com a altura e diâmetro de nosso interesse, ou mesmo potencializar a produção de flores ou frutos.


1.  Quando podar os primeiros ramosO momento ideal para as primeiras podas é diferente para cada espécie de planta, é preciso observá-la. A maior parte das plantas arbustivas, por exemplo, pode ser podada a partir do surgimento do quarto ou quinto par de ramos laterais. Corte os ramos mais baixos e não produtivos primeiro. Não há nada de errado em mantê-los na planta, mas quando chega a hora da floração estes ramos não produzirão muito, então pode-se eliminá-los desde o início. Este pequeno exercício também permite que a planta concentre mais energia nos ramos mais altos, que são mais produtivos.

2. Higiene e precisãoUtilize sempre instrumentos de corte limpos e afiados. Lâminas sujas ou enferrujadas podem ser vetores de contaminação para a planta, principalmente por que entrarão em contato com os tecidos condutores no interior da planta no momento do corte. É importante também que as tesouras de poda estejam bem afiadas, pois lâminas cegas maceram os tecidos da planta, o que dificulta a cicatrização.dicas de poda (4)Faça cortes em ângulos de 45º, assim evita-se que excesso de umidade fique acumulado no corte, o que pode favorecer o surgimento de pragas. Evite utilizar a mesma tesoura de poda em jardins outdoor e indoor. Por vezes é imperceptível, mas as pragas podem ser espalhadas para suas plantas indoor, trazidas ocultamente nas tesouras de poda. Esporos de fungosão os mais comuns. 3. Seja cuidadosoEspecialmente ao podar plantas jovens é importante tomar muito cuidado. Os ramos ainda estão crescendo como um todo e um corte no lugar errado pode arruinar com sua planta. Nunca use ferramentas de lâmina serrilhada, como facas ou serras, a não ser, é claro, se você for podar uma árvore. Evite arrancar os ramos com as mãos, pois isso cria zonas de avaria em uma região muito maior do caule em comparação à area de corte. Quanto mais tecidos internos ficarem expostos maior será a chance de contaminação por pragas.

4. Dê atenção às folhasdicas de poda (5)Ramos e folhas basais podem ser removidos como primeira poda.Remova todas as folhas mortas ou moribundas. À medida que a planta cresce, as folhas dos ramos mais altos começam a sombrear as folhas baixas que, por não receberem luz suficiente, acabam amarelando e morrendo. Para a planta, cortar essas folhas tem o mesmo efeito que cortar nossas unhas. Mas deixe as folhas superiores em paz, elas irão se beneficiar da supressão das folhas velhas e baixas e crescerão com mais vigor. 


5. Mantenha altura de sua planta de acordo com o espaço disponívelEm cultivo indoor é bem provável que exista limitações de espaço, tanto vertical quanto horizontal, a não ser que o cultivador disponha de um cômodo inteiro para o jardim. Aplicar as técnicas de poda certamente pode contornar a falta de espaço e mesmo assim proporcionar uma colheita farta. Por outro lado, se as plantas estiverem ao ar livre, a falta de espaço não será um problema, mas o excesso de crescimento do vegetal é que pode atrapalhar. Plantas maiores são obviamente mais imponentes e chamativas do que plantas menores, e elas podem causar transtornos quando invadem o espaço alheio.


6. Podas de cobertura ;

Redirecionando o crescimento da plantadicas de poda (1)Pode parecer contra-intuitivo cortar o ramo mais alto da planta, o ramo apical, mas essa técnica pode realmente favorecer em muito a produção de nos ramos mais baixos e resultar em uma colheita final mais abundante. Os ramos superiores no topo do crescimento do vegetal possuem compostos bioquímicos que restringem o crescimento dos ramos mais baixos, devido ao comportamento natural da planta em crescer em direção à luz. Quando cortamos a ponta do ramo superior, a planta redireciona os hormônios de crescimento para os ramos laterais mais baixos, fazendo o mesmo com o suprimento de água e nutrientes, resultando em um rápido desenvolvimento desses ramos. A técnica de poda de cobertura pode ser a próxima poda após a retirada dos primeiros ramos jovens. Ela contribui para que o cultivador inicie o processo de formatação da planta conforme sua necessidade e espaço disponível.
7. Permita o tempo de recuperação da planta após a poda
A poda de cobertura geralmente coincide com o período de início da floração, de acordo com o ciclo da planta. Muitos cultivadores iniciam os preparativos para a floração logo após a poda, mas é preciso dar tempo à planta. O corte dos ramos superiores ao final da fase vegetativa não é o mesmo que cortar alguns brotos ou pequenos ramos na planta jovem. A planta levará alguns dias para realocar os nutrientes e hormônios para os ramos laterais, cerca de 4 a 5 dias. Fique atento às regas nessa fase, pois a água é o meio de transporte dos nutrientes e hormônios pelo interior da planta, e por isso é imprescindível que ela não falte. Após 5 dias pode-se iniciar as mudanças necessárias para a floração, como troca de lâmpadas e fotoperíodo. 8. Não faça podas durante a floração.


Uma vez que a planta começa a florir, será uma péssima ideia podá-la. Apenas as folhas velhas devem ser retiradas nessa fase. Durante a floração a planta está direcionando toda sua energia na produção das flores, já que esta é sua forma de reprodução e, como todo ser vivo, as plantas, “querem” se reproduzir e deixar seus descendentes. Por isso, e para nossa alegria, elas investem alto nas flores. Alguns cultivadores acreditam que submeter a planta ao estresse pode forçá-la a crescer mais rápido, mas teoricamente isso não é verdade, pelos motivos já mencionados. Portanto, deixe as plantas em paz na hora da floração e certamente você será recompensado por isso. Bons cultivos!
FONTE : http://www.greenpower.net.br/blog/?p=271

Pássaros

Pássaros não devem ser cuidados assim :


Mas assim , como eu cuido deles , devem ser livres sempre.