quinta-feira, 22 de março de 2012

DIA DA ÁGUA

História do Dia Mundial da Água
O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.
Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.
                     No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” . Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.  Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

FONTE: http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_mundial_da_agua.htm

A água é muito importante em nossa vidas, você já chegou a se imaginar sem ela em abundância como temos hoje, portanto é bom economizar, temos de regar nossas plantas lógico que temos, mas sem exagerar sempre evitando esperdicios, sempre com muita consciência que muitas pessoas não tem essa água nem para beber, e sempre aguadecer pela chuva que vem para abençoar nossos dias.
Emfim temos sempre que aguadecer por termos essa água maravilhosa.
Use sem desperdicíos.

terça-feira, 20 de março de 2012

Açucena - do - Brejo

(Crinum amabile)

Trata -se de uma herbácea vigorosa de folhas longas  e curvadas que medem até 90 cm. Nativa do Sul do México até o Brasil, a açucena - do - Brejo é típica de clima tropical e, como indica seu nome popular, gosta de solo úmido, suas flores são grandes, com pétalas longas , lilases e listradas de vinho. As flores são perfumadase nascem nas pontas de vigorosas hastes florais. A espécie deve ser cultivada sob sol pleno e multipicada por divisão dos bulbilhos ou mudas que nsacem ao redor da planta - mãe.



Fonte: Revista Natureza, Ed:287, Dezembro de 2011, Editora Europa

Fonte Foto 01 : http://marcellescrinums.com/html/crinum-natural-hybrids/crinum-amabile.html
Fonte Foto 02: http://www.plantbook.org/plantdata/liliaceae/crinum_amabile.html

sábado, 10 de março de 2012

Leiteiro - Vermelho.

               Euphorbia cotinifolia

            O leiteiro-vermelho é um arbusto grande ou arvoreta, de copa globosa e folhagem vermelha, muito ornamental. Seu caule é ramificado e sua seiva é lactescente. As folhas apresentam forma elíptica e são de um vermelho intenso, muito vistoso e diferente. Quando injuriada por estiagem ou geadas, o leiteiro-vermelho se desfaz de suas folhas, tornando-se decíduo. A floração ocorre na primavera e as flores são bem pequenas, de coloração branco-creme e importância ornamental secundária.
Esta arvoreta de colorido exuberante é ótima para cultivo isolado, em pequenos espaços, como calçadas, pois apresenta pequeno porte, dificilmente ultrapassando 5 metros de altura. Ela também pode ser conduzida como arbusto e até mesmo em cercas-vivas, com boas podas de formação que deixem a planta mais baixa e compacta. Apesar de tolerar a meia-sombra, suas folhas perdem seu vermelho vibrante e tornam-se esverdeadas e esmaecidas nesta condição.
O leiteiro-vermelho é considerado planta tóxica, assim como muitas outras plantas do gênero Euphorbia. O contato da pele com sua seiva leitosa pode provocar alergias, irritações e queimaduras. Da mesma forma, a planta é bastante perigosa quando ingerida, provocando salivação, vômitos, náuseas e irritações gastrointestinais. Por este motivo, deve se evitar seu plantio em áreas freqüentadas por crianças e animais domésticos.




 Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos regulares, principalmente no primeiro ano de plantio. Planta tipicamente tropical, o leiteiro-vermelho é capaz de tolerar o frio e a seca, mas se ressente, perdendo folhas e até a ramagem mais jovem e fina. Multiplica-se por sementes e estaquia de ponteiros e ramos semi-lenhosos.
Autor: Raquel Patro
Conteúdo sob Licença Creative Commons
Restrições de Uso do texto e imagens

FONTE: http://www.jardineiro.net/br/geral/arvores.php
FONTE FOTO: http://www.finegardening.com/pages/g00198.asp